Parapsicologia Clínica

 

PARAPSICOLOGIA – SEM CONOTAÇÕES OCULTISTAS NEM ESPÍRITAS – INVESTIGAÇÃO E APLICAÇÃO CLÍNICA

CONTEÚDOS:

1) INTRODUÇÃO
2) NÃO FORA A TIRANIA DO “VIL METAL” . . .
3) INVESTIGAÇÂO EM ESTADOS ALTERADOS DE CONSCIÊNCIA
4) PARAPSICOLOGIA E CLÍNICA
5) “FENÓMENOS INEXPLICÁVEIS
6) INVESTIGAÇÃO DE FORÇAS INCONSCIENTES E ANÓMALAS . . .
7) FENÓMENOS DE SOBREVIVÊNCIA À MORTE FÍSICA E REENCARNAÇÃO
8) RELATO SUGESTIVO
9) FANTASMAS & ESPÍRITO
10) TERAPIA / MEDICINA INTUITIVA
11) REMISSÃO NO ALCOOLISMO
12) “METAPSÍQUICA” E “FORÇAS OCULTAS INTELIGENTES”
13) CURAS ESPONTÂNEAS
14) TERAPIA À DISTÂNCIA/DISTANT HEALING

 

A Humanidade vem revelando, desde sempre, curiosidade pelas “anomalias” que caracterizam os fenómenos misteriosos da Consciência e da “Espiritualidade”, por aqueles aspectos transcendentes da Vida, que escapam à classificação científica.

A emergência do “Novo Conhecimento” – Pós Modernismo, Nova Era / New Age – veio facultar convergências entre a Ciência e a Espiritualidade, particularmente, na investigação dos fenómenos “anómalos” da Consciência e adopção de novas e melhores abordagens ao potencial humano oculto… transmutador de realidades, co-criador.

Por outro lado, as rupturas com o mainstream (pensamento da maioria), vêm propiciando concepções que, embora complexas, tornam-se ainda mais aliciantes, porquanto esboçam novas perspectivas sobre a condição humana, sobre a transitoriedade / finitude da dimensão física do Ser e, ainda, sobre a permanência e a imortalidade da Consciência / Alma / Espírito.

Portanto, só o enquadramento científico pode possibilitar abordagens e metodologias apropriadas (não – teológicas) que, por sua vez, contribuem para o (possível) esclarecimento de alguns dos mistérios inerentes à pluridimensionalidade do Ser e a dimensões distintas e desconhecidas da Vida, suas interacções e manifestações. Fora de um enquadramento científico, todo o resultado é especulativo. NO ENTANTO…FACTOS SÃO FACTOS…ESTÃO ACIMA DE QUALQUER TEORIA.

Portanto, sem inovação científica e tecnológica, sem difusão de novo conhecimento, não teria sido possível aprimorar informação sobre a realidade humana, acerca da valia de potenciais criativos extraordinários e ocultos da Consciência, assinaladamente, as correlações verificáveis entre a dimensão física, observável e tangível (todavia transitória / passageira) e a “outra” que, embora invisível, oculta e misteriosa, nos outorga a Singularidade, a Transcendência e a Eternidade.

Um departamento específico da conhecida multinacional nipónica, “Sony”, chegou a anunciar a conclusão de um projecto de investigação científica (liderado pelo Doutor Yochiro Sako), que comprovava a existência de fenómenos desconhecidos da Consciência. Estranhamente, esse projecto não foi por diante ( . . . ) “por não ter aplicação comercial”, pode ler-se, POR NÃO DAR LUCRO. A comunidade científica não se insurgiu, acomodou-se emudecida, quiçá para não macular a competência do distinto investigador. A comunicação especializada, por sua vez, conluiou com o “cinismo científico”. Porque, afinal… o que Ciência e Informação consomem, não é ditado pelas exigências de CONHECIMENTO, PROGRESSO E BEM-ESTAR, MAS…PELA TIRANIA DO “VIL METAL”.

Os fenómenos patentes nos estados alterados de consciência (ASC)… são mais satisfatórios e mais relevantes do que a “razão pura”, na formulação de uma filosofia de vida (Weil, P., 1989). Os Fenómenos da Consciência e do “Paranormal” são investigados desde a fundação da Society for Psychical Research (Londres, 1882), a que estão associadas figuras científicas relevantes na época, particularmente, Sir William Crookes, Sir Oliver Lodge, Sir J. J. Thompson, William Mc Dougall e Gardner Murphy. Em 1919, Charles Trichet – médico francês laureado com o Nobel, em 1913 – funda o Instituto Metapsíquico de Investigação das ocorrências “anómalas” da Consciência e, nos finais da década de 1920, os estudos e metodologias de Louisa Rhine e Joseph Banks, legitimam, em 1935, a fundação do Laboratório de Parapsicologia da Universidade de Duke – EUA. Eis, o que constitui a primeira vaga de investigação científica dos “fenómenos paranormais” e da “Metafísica” – do que está para além do físico, do que é enigmático, transcendente e sobrenatural. Ciência e Tecnologia têm contribuído, gradual, mas decisivamente, para o desenvolvimento da Parapsicologia e para a supressão do aproveitamento das questões da “espiritualidade” por parte de oportunistas, fanáticos e desesperados que, autointitulando-se de “mestres”, “professores”, “místicos”, “espirituais”, burlam mentes crédulas, usualmente, em sofrimento. Por isto, é essencial “separar o trigo do joio”, pois a subjectividade do transcendente, a complexidade do mundo “metafísico” e as dificuldades de comprovação, têm constituído terreno fértil para que gente pouco escrupulosa, explora as crenças de uma maioria que busca segurança e anseia por respostas auspiciosas, sempre…indeterminadas.
EM CONTRAPOSIÇÃO AO EMBUSTE, A PARAPSICOLOGIA APLICADA USA METODOLOGIA EXPERIMENTAL PARA INVESTIGAR A PARANORMALIDADE DA CONSCIÊNCIA E IDENTIFICAR FACTORES QUE, ANTES, ERAM ATRIBUÍDOS A “FORÇAS EXTERNAS” AO SER HUMANO. PORTANTO, É A SERIEDADE DA INVESTIGAÇÃO SOBRE OS “PODERES ANÓMALOS” DA CONSCIÊNCIA QUE TEM ESTIMULADO INTERESSE GENERALIZADO AO DESVENDAR INDEFINIÇÕES INERENTES AO LADO MISTERIOSO DA EXPERIÊNCIA HUMANA.
É bom ter em conta que a Parapsicologia não seria detentora de um enquadramento científico irrepreensível sem a entrega pessoal e o trabalho escrupuloso, competente e continuado – ao longo de décadas – de investigadores credenciados nas áreas da saúde e do comportamento…não-alinhados com a ortodoxia científica. “Defendido o conhecimento fidedigno da Parapsicologia evita-se que esta possa ser usurpada por “profissionais do charlatanismo” (Costa & Razente, 2011).

O prefixo “PARA…” pode significar para além de, paralelo a, ou, acima de. LOGO, “PARAPSICOLOGIA” – NO CONTEXTO (PSI E PES) É A DISCIPLINA QUE ESTUDA OS FENÓMENOS EXTRAORDINÁRIOS DA CONSCIÊNCIA ESTABELECIDOS PARA ALÉM DA EXPERIÊNCIA HUMANA, E QUE CONSEGUE DEMONSTRAR A INCORPORAÇÃO DE INTERACÇÕES / TROCAS DE INFORMAÇÕES ENTRE DIFERENTES DIMENSÕES E / OU MUNDOS EXPLICÁVEIS FORA DOS PADRÕES CONHECIDOS DE TEMPO, ESPAÇO E ENERGIAS.

A dissemelhança entre Psicologia Clínica Clássica e a Parapsicologia é de princípio, isto é, enquanto a Psicologia tenta explicar os fenómenos observáveis pondo a ênfase de uma disfunção psicossomática nos aspectos físico e emocional do indivíduo, a Parapsicologia, valoriza, analisa e verifica factos que, sendo aparentemente inexplicáveis, permanecem registados na memória celular e são exteriorizados pelo subconsciente.

Assim, a PARAPSICOLOGIA considera, avalia e interpreta a experiência humana numa perspectiva holística, de integração de espectro e físico, o que vai permitir que se identifiquem e correlacionem as interacções de distintos campos de energia (emocional e espiritual) e as manifestações físicas / sintomas correspondentes. OS RESULTADOS DA APLICAÇÃO DA PARAPSICOLOGIA EM CLÍNICA (VIBRACIONAL) DEPENDEM DA QUALIDADE DOS PROCEDIMENTOS ESTABELECIDOS ENTRE UM TERAPEUTA MEDIADOR / “MÉDIUM” E O SEU INTERLOCUTOR / PACIENTE, NUMA LÓGICA “METAFÍSICA” QUE ESCAPA ÀS CLASSIFICAÇÕES E METODOLOGIAS “CONVENCIONAIS”.

O fracasso do funcionamento dos antigos sistemas religiosos e a incapacidade de uma “visão científica” para substitui-los por algo mais praticável, constitui boa parte da crise que a cultura contemporânea atravessa (Weil, P., 1989).

Crise civilizacional que é devida, em boa parte, à rigidez mental e à defesa corporativa de um pensamento científico “conservador”, “purista“, “ortodoxo” que incapacita / bloqueia a abertura mental – de espírito – que possa suscitar reflexão sobre a ascendência da dimensão espiritual / espectral sobre a corporal / física.

A INCORPORAÇÃO DO MUNDO TRANSCENDENTE E DE EXPERIÊNCIAS ANTERIORES AO NASCIMENTO – OU À EXISTÊNCIA INTRA-UTERINA – SÃO ESSENCIAIS PARA GARANTIR UMA DIAGNOSE ABRANGENTE E PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS ADEQUADOS À TRANSMUTAÇÃO DE PADRÕES MENTAIS “DISFUNCIONAIS”. A IMPREVISIBILIDADE DE “FENÓMENOS INEXPLICÁVEIS” PODE SER INDICIADORA DA ORIGEM DE SINTOMAS MANIFESTADOS.

“Parapsicologia” é a designação atribuída por Max Dessoir, em 1889, à investigação dos fenómenos extraordinários / “anómalos” da Psique Humana e da Consciência, para que a Parapsicologia pudesse ser elevada à categoria de saber científico.Desde 1911, até aos nossos dias, a pioneira Universidade de Stanford – EUA, desenvolve programas e experiências controladas sobre as “forças inconscientes e anómalas da psique humana” . . . em colaboração com a CIA e com o Departamento de Defesa Norte-Americano (Fernandes, J., 2001). As Universidades russas procedem, identicamente, com o KGB. QUER DIZER QUE, O INTERESSE PELA INVESTGAÇÃO SÉRIA DA PARAPSICOLOGIA É DE TAL ORDEM QUE A DISCIPLINA É LECCIONADA EM MAIS DE 130 INSTITUIÇÕES UNIVERSITÁRIAS DE TODO O MUNDO, AS QUAIS ATRIBUEM DISTINTOS GRAUS DE QUALIFICAÇÃO SUPERIOR – Licenciaturas, Mestrados e Doutoramentos. DESTAS INSTITUIÇÕES UNIVERSITÁRIAS, 47 são norte-americanas, 10 do leste europeu, e, as restantes, situadas nas plataformas Sul-americana e da Europa ocidental.Em Portugal, a investigação desenvolvida pelo CTEC – Centro Transdisciplinar de Estudos da Consciência da Universidade Fernando Pessoa – é notável. A Fundação BIAL (sob o patrocínio da Presidência da República e com o assento do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas) concede anualmente, desde 1994, a investigadores e a universidades de todo o planeta, Bolsas de Estudo em Psicofisiologia e Parapsicologia. A Associação Luso-Brasileira de Psicologia Transpessoal (ALUBRAT) tem desenvolvido projectos de pesquisa avançada em Psicologia Transpessoal e Parapsicologia.

O tema tem relevância ímpar para o comum dos mortais. . . porque há uma sensação generalizada – e ambivalente – da nossa ligação ao desconhecido, da nossa unificação com o Todo, coisa que tanto pode assustar como suscitar curiosidade. O QUE SUCEDE APÓS A “MORTE FÍSICA”!? É A INTERROGAÇÃO QUE TODOS GOSTARÍAMOS DE VER ESCLARECIDA. Com este propósito, o Professor Ian Stevenson (1918 – 2007), Director do Serviço de Psiquiatria da Universidade da Virgínia – EUA, expõe, com prova científica, em “Twenty Cases of Suggestive Reincarnation”, experiências com crianças, cujas memórias de supostas existências passadas não foram apagadas. Aproveito para mencionar que a minha experiência com o tratamento de bebés que apresentam sintomatologia idêntica, tem sido fascinante e conduzido a resultados bem-sucedidos… e gratificantes. Porém, as terapêuticas convencionais não têm conseguido respostas convincentes.
UMA TERAPÊUTICA NÃO PODE RESULTAR EFICAZ SE O PONTO DE PARTIDA NÃO CONSIDERAR PARÂMETROS “PARANORMAIS” MUITO IMPORTANTES PARA O ESCLARECIMENTO DAS CAUSAS SUPRA-CONSCIENTES DESENCADEANTES DO CONFLITO EMOCIONAL GERADOR DE DISTÚRBIOS ESPECÍFICOS, NÃO CONTEMPLADOS PELA METODOLOGIA “CONVENCIONAL”.

“Sono superficial e agitado, palra durante grande parte da noite e, de dia, não dorme, mas… mama constantemente”. Tecnicamente, pode tratar-se de um caso de desregulação dos ciclos circadianos, diagnóstico que, embora certo, é incompleto, pois considera, apenas, a manifestação física, quer dizer, sintomas de uma perturbação emocional que começa a montante. Diferentemente, a diagnose intuitiva baseia-se em informação que permite deduzir a fonte “subjectiva” do “bloqueio energético” causador da desregulação dos ciclos circadianos.

A MINHA DEDUÇÃO É A DE PODER TRATAR-SE DE “INCUMPRIMENTOS” NO “PROCESSO PESSOAL” DE TRANSMUTAÇÃO ENTRE PLANOS “EXISTENCIAIS” DISTINTOS. (TRANSITO DE UMA DIMENSÂO DESCONHECIDA PARA A “REALIDADE TERRENA”).
CONSIDERO A IMPORTÂNCIA DE PONDERAR E AVALIAR AS CONDIÇÕES DE:
1) PREMATURO;
2) “PALRAR” DURANTE A NOITE COMO SE O HORÁRIO CRONOLÓGICO NÃO IMPORTASSE E;
3) O “VÍCIO” PELA MAMA MATERNA DURANTE QUASE TODO O DIA.
A MINHA DEDUÇÃO É INTERESSANTE, DADO QUE, UM PREMATURO, OU UM NASCITURO (AINDA NÃO NASCIDO) PODEM PERMANECER DEMASIADO “LIGADOS” À DIMENSÃO PRECEDENTE, A UM “MUNDO” PRÉVIO. SE FOR O CASO, ENTÃO, A ADAPTAÇÃO À NOVA EXPERIÊNCIA (NA TERRA) PODERÁ TORNAR-SE DIFÍCIL, PORQUE O BÉBE AINDA FAZ USO DE DONS EXTRASSENSORIAIS PRÓPRIOS, NÃO DA VIDA TERRENA, MAS DE UMA FASE ANTERIOR AO NASCIMENTO, OU, INTRA-UTERINA.

A terapêutica em apreço fundamenta-se na teoria de C. G. Jung de que a Vida é um “continuum”… um vaivém (!?) de experiências em diferentes dimensões, planetas, galáxias, universos, realidades (!?). De facto, as metodologias criativas e transpessoais têm-se demonstrado eficazes na resolução de eventos “traumáticos” anteriores ao nascimento. Talvez nos seja útil partir do princípio de que a “MORTE” NÃO É O FIM, NEM O OPOSTO DE VIDA…(!?)

A “metapsíquica” sugere que quem, após a morte física, se mantém preso às questões terrenas, não aproveitou essa fase da Existência para evoluir no plano espiritual. Estes, porque permanecem numa condição indefinida – “almas penadas” – propendem, geralmente, para manipular “outros” (“cá e lá”) com ausência absoluta de emoções. O seu único desejo é satisfazer “necessidades corpóreas” dissimuladas, mesmo que isso imponha sofrimento ao próprio e a terceiros.

O FENÓMENO, DESIGNADO POR INTRUSÃO ENERGÉTICA, É CONHECIDO NA GÍRIA ESPÍRITA, COMO “ENCOSTO”. TRATA-SE, SIM, DE ENERGIA ESPECTRAL, FANTASMAGÓRICA, DE UMA “ALMA PENADA” QUE USA DE TODOS OS RECURSOS PARA SATISFAZER DESEJOS E CAPRICHOS DE UMA FASE PRETÉRITA DA VIDA…À QUAL JÁ NÃO PERTENCE, MAS PERMANECE-LHE APRISIONADO.

Um defunto – tal como um indivíduo animado de Vida – é uma partícula de energia que, por não aceitar uma nova circunstância/um outro nível de realidade, pode permanecer retido no limbo (entre o aqui e o além), numa amálgama de sofrimento. Com os vivos passa-se algo idêntico, porque a questão é de opções/escolhas pessoais.

EIS, AS CONDIÇÕES QUE MAIS PODEM CONDUZIR A SOFRIMENTO APÓS “MORTE” FÍSICA:
1) DESCONHECIMENTO, OU NÃO ACEITAÇÃO DO “NOVO” PLANO DE EXISTÊNCIA;
2) DEPENDÊNCIA “EMOCIONAL” DE PESSOAS, COISAS, PENSAMENTOS E SENTIMENTOS RELATIVOS AO MUNDO CONCRETO…A QUE JÁ DEIXOU DE PERTENCER;
3) O MOMENTO DA “MORTE”/TRANSIÇÃO, TER SIDO INESPERADO, SÚBITO E/OU VIOLENTO . . . ISENTO DE PREPARAÇÃO. UMA PARTÍCULA ENERGÉTICA QUE FIQUE “BLOQUEADA” NO LIMBO ESTÁ A IMPEDIR A EVOLUÇÃO CRIATIVA/“ESPIRITUAL” DA CONSCIÊNCIA/RESOLUÇÃO DE “CARMA”.
O “FANTASMA” RECUSA A EVOLUÇÃO (DA CONSCIÊNCIA/ESPÍRITO) PORQUE PERMANECE GRUDADO A UMA FASE ACABADA DA VIDA…NÃO SE DEU CONTA DA MORTE FÍSICA, FICA A VAGUEAR POR AÍ (Portela, 2013). A CONSCIÊNCIA/ESPÍRITO É UMA E ETERNA, PERMANECE E “FUNCIONA” PARA LÁ DAS LIMITAÇÕES DO ESPAÇO – TEMPO.
Logo, a morte física – que mais não será do que uma transição, o encerramento da experiência na dimensão espaço-tempo, um renascimento algures, não exerce qualquer influência sobre a Energia da Consciência. Contrariamente ao fantasma, o Espírito/Consciência é uma condição superior que aceita os desígnios elevados, que abraça o Bem e está sempre disponível para ajudar. “O Homem é uma alma revestida com um corpo e não um corpo animado por uma alma” (Harvey Spencer Louis, citado em Portela, 2013).

No princípio da década de 1960, apenas 2 estudos psicológicos utilizavam o termo INTUIÇÃO (Stein, M., 1985). Os fenómenos paranormais podem levar-nos a repensar algumas das leis mais bem aceites da Ciência (Fontana, 2002, in The Scole Experiment).
ACTUALMENTE ESTAMOS MAIS PREPARADOS PARA EXPLORAR A INTUIÇÃO, MAIS ABERTOS PARA INVESTIGAR O NOSSO MUNDO INTERIOR (DIMENSÃO OCULTA, MISTERIOSA) MAIS INFORMADOS E DISPONÍVEIS PARA SEGUIR LINHAS DE PENSAMENTO QUE SE CONTRAPÕEM AOS PADRÕES DEFENDIDOS PELA CORRENTE BEHAVORISTA / PSICOLOGIA DOS COMPORTAMENTOS OBSERVÁVEIS.

A investigação da INTUIÇÃO tem sido prejudicada pela inexistência de um léxico coerente capaz de facilitar provas convincentes, na medida em que é muito difícil verbalizar uma experiência intuitiva.

A INTUIÇÃO INTERACTUA COM SISTEMAS ENERGÉTICOS QUE, DISPENSANDO A DISSECAÇÃO FÍSICA, POSSIBILITAM UM DIAGNÓSTICO CONCLUSIVO.

No entanto, a explosão da tecnologia, desde 1940, está a fazer com que as terapias e as medicinas convencionais estejam a deixar de ser “artes do coração” para se tornarem agentes tecnológicos de si mesmas.

AS TERAPIAS INTUITIVA E DE BASE HOLÍSTICA ESTÃO A DESENVOLVER-SE E A AJUDAR GENTE QUE COMEÇA A ESTAR CANSADA DA TIRANIA DO MEDICAMENTO, DOS ASPECTOS DESUMANIZANTES DA TECNOLOGIA E DA AUSÊNCIA DE “CORAÇÃO” NAS TERAPIAS CONVENCIONAIS. MAIS DE METADE DAS PRÁTICAS VIBRACIONAIS TEM POUCA OU NENHUMA BASE TECNOLÓGICA, PORQUANTO AS APTIDÕES INTUITIVAS ADVÊM DA LINGUAGEM DO CORAÇÃO, DO CONHECIMENTO INATO DETERMINANTE PARA O ÊXITO DAS ABORDAGENS QUE CONTEMPLAM A “COMUNICAÇÃO” EXISTENTE ENTRE DIFERENTES NÍVEIS DE REALIDADE… QUE OS CINCO SENTIDOS NÃO CONSEGUEM CAPTAR.

INTUIÇÃO é um dom ilimitado que nos possibilita apreender imediata, automática e involuntariamente, uma realidade (Bergson, H., 2001). Somos, então, detentores de competências ocultas que nos permitem contactar com forças INTUITIVAMENTE SENTIDAS EM VEZ DE FISICAMENTE EXPERIMENTADAS.

. INTUIÇÂO É, AINDA, UM SISTEMA COERENTE QUE, TAL COMO O INTELECTO, DEVE SER DESENVOLVIDO COM PRÁTICA REITERADA PARA FACILITAR O APROFUNDAMENTO DA AUTO-CONFIANÇA, CONFIANÇA NA INTELIGÊNCIA EXTRA-SENSORIAL E NO PENSAMENTO NÃO-LINEAR (funções do Hemisfério Cerebral direito). O DESENVOLVIMENTO CRIATIVO / INTUITIVO DE UM INDIVÍDUO – E DE GRUPOS – PORQUE ESTIMULA A COGNIÇÃO E A EMOÇÃO, PODE AJUDAR A TRANSMUTAR PADRÕES MENTAIS DESAJUSTADOS.

Muito tempo dedicado à pesquisa de métodos ajustados à resolução de distúrbios associados ao consumo de álcool – e drogas lícitas e ilícitas – levaram-me a reflectir sobre a importância dos “insights” (mensagens intuitivas) como guias de procedimentos que viriam a revelar-se seguros na resolução de patologia aditiva, nomeadamente, o alcoolismo.

COMECEI POR PERCEBER QUE CADA “INSIGHT” REPRESENTA UMA POSSIBILIDADE DE ESTABELECER VÍNCULOS COM A “TRANSCOMUNICAÇÃO” / COMUNICAÇÃO ENTRE ENERGIAS “LOCALIZADAS” EM REALIDADES DISTINTAS. PERFILHADA A “INSPIRAÇÃO” TODAS AS EXPERIÊNCIAS ASSOCIADAS À RESOLUÇÃO DE DISTÚRBIOS DE ALCOOLISMO TÊM SIDO GRADUAL E SATISFATORIAMENTE BEM-SUCEDIDAS. A TERAPÊUTICA, DESIGNADA POR “BILOCAL”, DETÈM A CARACTERÍSTICA EXTRAORDINÁRIA DE ACTUAR, CONCOMITANTEMENTE, NA “PARTÍCULA ENERGÉTICA” DE UM ALCOÓLICO QUE, FALECIDO, É IDENTIFICADO COMO A CAUSA “REMOTA” (RESIDENTE NOUTRO NÍVEL DE “REALIDADE”) DA INCIDÊNCIA DA PATOLOGIA ALCOÓLICA, NUM FAMILIAR PRÓXIMO, OU DESCENDENTE – AINDA RESIDENTE NO “MUNDO DOS VIVOS”.

Apesar de intrincada e progressiva, a metodologia revela-se eficaz, benéfica e segura. A designação “Bilocal” é justificada porque se verificam interacções em dois “locais”/realidades distintas.

SÃO PRÁTICAS TERAPÊUTICAS QUE RESULTAM DE PESQUISA PERSISTENTE, E QUE, POR ISSO, CONSEGUEM “DAR PROVA” E REFORÇAR AS NOÇÕES DE INTEGRAÇÃO DE DIFERENTES NÍVEIS DE REALIDADE, DE INTERACÇÃO DE CAMPOS ENERGÉTICOS DIFERENCIADOS QUE – LOCALIZADOS NA TERRA E/OU ALGURES NO COSMOS – CONCORREM, “INEXPLICAVELMENTE”, PARA INCIDÊNCIA DA DOENÇA E PREVENÇÃO OU RESOLUÇÃO DE “PATOLOGIA TRANSGERACIONAL”.

David Fontana (1934 – 2010), Investigador de Psicologia Transpessoal e Professor da Universidade de Cardiff – UK (*), relata em “Does Mind Survive Physical Death?” (Simpósio da Fundação BIAL, 2002): “Enquanto psicólogo nunca me interessaram quaisquer capacidades humanas que só são comprovadas em laboratório. Durante as minhas observações encontrei-me com distintos investigadores da Europa, Ásia e Américas que me confirmaram que a gente comum tem histórias extraordinárias do Paranormal para contar, muitas das quais emolduradas pela verdade (. . .). É interessante notar que as pessoas com histórias extraordinárias para revelar provêm de todos os extractos socioeconómicos, pelo que, a ideia de que as experiências com o Paranormal só são reveladas por gente de baixa condição sociocultural, está muito longe da realidade”.

O “peso da tradição” leva a que um número considerável de cientistas limite as suas actividades às regras estritas do laboratório sem considerarem que os resultados obtidos noutros lugares e situações improváveis devem ser objecto de atenção. Portanto, se condições objectivas exigirem diferenciação de critérios ou agregação de métodos, isso será relevante para a investigação e para a melhoria do conhecimento sobre fenómenos extraordinários da Consciência.

. De facto, é a natureza complexa da “Metapsíquica” que torna a investigação precária, na medida em que, tanto pode fascinar e intrigar como deixar muita gente perplexa. .
(*) – Professor Convidado das Universidades do Minho e do Algarve; Observador da Society for Psichycal Research no – extraordinário – “The Scole Experiment”.

A reorganização de um padrão de pensamento, a auto regulação mental / emocional, ocasionam conversão biológica e celular idêntica.

(Lypton, 2005)

Temos então que, se o factor emocional pode desencadear e agravar uma doença, a cura da disfunção básica não é exclusividade científica, mas resultado da associação a factores emocionais… como sensibilidade e autoconfiança.

São estas “novas” evidências que estão a ajudar especialistas e leigos, por todo o planeta, a melhorar as suas formas de pensar e de conviver, consequentemente, a elevar os seus níveis de consciência… alcançar paz interior, bem-estar, saúde e produtividade.

– ELIMINAÇÃO DA ENERGIA DISSEMINADA PELAS MEMÓRIAS DO PASSADO / PERCEPÇÃO EXTRASSENSORIAL E ESPIRITUALIDADE ALÉM DAS LIMITAÇÕES DA FÍSICA –

(. . .) Intenções e pensamentos deslocam-se a uma velocidade superior à da luz, sem as limitações de espaço e de tempo (Einstein, citado em Berger, 1998). ENERGIA E MATÉRIA SÃO EMANAÇÕES DO ESPÍRITO / ALMA…UMA NÃO EXISTE SEM A OUTRA. “ESPIRITUALIDADE É A VIA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A INTEGRAÇÃO DO DOM DE ELEVAÇÃO DO HOMEM À EXPERIÊNCIA CÍCLICA E ETERNA DE NASCIMENTO E MORTE” (Guillé, E., 2008 .

A Parapsicologia – disciplina científica – é detentora de instrumentos, meios e metodologias capazes de investigar, com rigor, os aspectos misteriosos da natureza do Ser que, embora escapem à lógica referencial, podem validar experiências de fenómenos psíquicos e de ocorrências “anómalas”, designadamente, a “espiritualidade”… assunto que é sobejamente complexo e delicado. “É sabido que, para além das percepções dos nossos sentidos comuns, se ocultam mundos e inteligências de que ainda não tomámos a devida consciência”(Einstein, A., 1988).

AS CURAS ESPONTÂNEAS – PRESENCIAIS E À DISTÂNCIA – PROCEDEM DE PERCEPÇÕES EXTRASSENSORIAIS, COMO INTUIÇÃO, MEDIUNIDADE E CLARIVIDÊNCIA, QUE CONCORREM PARA O ESCLARECIMENTO DAS CAUSAS OCULTAS E “REAIS” DAS DOENÇAS. OS PROCESSOS CRIATIVOS – CRIATIVIDADE SUPERIOR – DE REMISSÃO E CURA, FUNCIONAM DE DENTRO PARA FORA, ISTO É, DA DIMENSÃO OCULTA DO MUNDO “ESPIRITUAL” DOS PENSAMENTOS, EMOÇÕES E CRENÇAS, PARA O UNIVERSO CONCRETO / DA “REALIDADE” OBSERVÁVEL… ONDE SE MANIFESTA O SINTOMA DA DOENÇA. A Psicologia Clínica, de metodologia convencional, actua em sentido oposto, isto é, de fora para dentro, focada no mundo concreto e observável (e finito) no que é, apenas, apreendido pelos cinco sentidos. PORTANTO, A EXPLORAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS PASSADAS – QUE PERMANECEM REGISTADAS NA MENTE SUBCONSCIENTE E NAS CÉLULAS – É FUNDAMENTAL PARA DETERMINAR UMA METODOLOGIA TERAPÊUTICA CRIATIVA CAPAZ DE EVOLUIR DA REMISSÃO ATÉ À CURA ESTÁVEL . . . porque, as células do corpo humano são “fecundadas” por memórias do passado. UM PROCESSO DE TERAPIA CRIATIVA ALCANÇA A CURA ATRAVÉS DA ELIMINAÇÃO DA ENERGIA DISSEMINADA PELAS MEMÓRIAS DO PASSADO, QUE ESTIMULAM A TOTALIDADE DAS CÉLULAS DO CORPO (Burger, 2007). Logo, as competências de cura de terapeutas habilitados a operar nas “zonas de fronteira” são devidas a percepções da Consciência guiadas pela Super Consciência. O “MILAGRE” DE UMA CURA DURÁVEL DEPENDE DAS APTIDÕES DO TERAPEUTA NA TRANSMUTAÇÃO DE UM PADRÃO MENTAL DESAJUSTADO, SEJA, DO “DESCONDICIONAMENTO” DA MENTE SUBCONSCIENTE. Para quem deseje ir mais além, acrescento: A EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL AJUSTA O CARMA EM CONFORMIDADE COM O COMPROMISSO PESSOAL DO INDIVÍDUO PARA TRANSMUTAR / SUBSTITUIR UMA VIVÊNCIA EGOCENTRADA – ambição, apego a ideias, pessoas e mundo material – POR UMA INTERPRETAÇÃO CONTEMPLATIVA E “ESPIRITUAL” DA VIDA… PELO DESPERTAR DURÁVEL DA “LINGUAGEM DO CORAÇÃO” QUE ILUMINA / ESCLARECE A MENTE, DILATA A ESPONTANEIDADE, A EMPATIA E A GENEROSIDADE. Espiritualidade, com derivação etimológica de ESPÍRITO (sopro vital, força animadora) é energia que RELIGA Ser e Transcendência. É a vivência do Ser numa perspectiva não finita, de não-separação entre Ser e Todo / Universo. Espiritualidade é, ainda, a via de busca activa, e permanente, da harmonia integral e do bem-estar (subjectivo) . . . sem cedências às exigências do ego… acostumado a não ter de ceder para ganhar.

A Terapia à Distância assenta nos princípios da transcomunicação não instrumental (intuitiva) entre os mundos dos vivos e dos mortos, em níveis de realidade a que são estranhas as noções de lugar, de tempo e de espaço.
O PROCESSO TERAPÊUTICO DE CURA À DISTÂNCIA QUE DESENVOLVO, PROCESSA O ENVIO DE ENERGIAS AJUSTADAS À RESOLUÇÃO DO MAL-ESTAR DE UM INDIVÍDUO/PARTÍCULA ENERGÉTICA, INDIFERENTEMENTE DE ESTE SER DEFUNTO OU VIVENTE (Ver 11) – Remissão no Alcoolismo).
A ENERGIA DO ESPÍRITO, PORQUE É ÚNICA E ETERNA, ACOMPANHA E SOBREVIVE À MATÉRIA.
Modus Operandi:
1) para enviar Terapia à Distância para um “alvo” estabelecido, necessito de elementos identificadores como nome, apelido e data de nascimento;
2) a pessoa / partícula energética que está a ser submetida ao tratamento, não tem de cumprir quaisquer rituais, ou ter conhecimento do procedimento terapêutico.

O êxito de um processo de cura – presencial ou à ditância – depende, principalmente, de um diagnóstico acertado / conclusivo. Ao terapeuta “médium” compete-lhe invocar Entidades Superiores, “descodificar” a informação (simbólica) que recebe de “cima” e agir em conformidade com a vontade da Entidade / Espírito que “superintende” na sessão, cujo único propósito é a cura. O mérito do terapeuta “médium” depende das competências para sensibilizar as Entidades que orientam o processo, e de ser-lhes permeável.

O cumprimento da tarefa é muito exigente, podendo, inicialmente, revelar-se penoso e infrutífero. Todavia, a prática reiterada levá-lo-á a tornar-se gratificante. É de considerar que, pela natureza das energias e dos níveis de realidade os riscos envolvidos são avultados se o terapeuta “médium” não demonstrar disponibilidade pessoal, dedicação, competência e desprendimento do mundo concreto. É este nível de exigência que justifica que incumbências idênticas não sejam concedidas a quem não der provas de se ter preparado devidamente. (O meu investimento de preparação durou 23 anos, e, só então, fui “acreditado”).

A COMPETÊNCIA NA INVOCAÇÃO DAS ENTIDADES E NA COMUNICAÇÃO ESTABELECIDA É O FACTOR QUE FACILITA A SINTONIA ENTRE AS ENERGIAS DO TERAPEUTA E AS DO PACIENTE. AO TERAPEUTA NÃO LHE CABE MAIS DO QUE DOAR E TRANSFERIR OS INFLUXOS ENERGÉTICOS QUE RECEBE DE NÍVEIS SUPERIORES.

As transmutações/transformações de padrões mentais correspondem a transferências energéticas que não estão isentas de risco, pois exigem muita preparação e um desmedido dispêndio do capital vital do terapeuta “médium”.

OS RESULTADOS EXTRAORDINÁRIOS ANALISADOS AO LONGO DE 20 ANOS DE ACTIVIDADE DEIXAM-ME DEMONSTRADA A SUPREMACIA DO MUNDO SUBTIL, DA SABEDORIA SUPREMA DO ESPÍRITO SOBRE O MUNDO CONCRETO, TRANSITÓRIO E PERECÍVEL. Assim, quanto mais amplificadas estiverem as competências sincrónicas do terapeuta, mais aumentam as probabilidades de que uma acção curativa possa conectar-se espontaneamente/intuitivamente com planos elevados da Consciência…com Entidades animadas das melhores intenções para com o género humano. A intenção benéfica das “Energias do Espírito” actua directamente sobre os planos mentais de um doente, através de vibrações/frequências infalíveis de natureza electromagnética.

A intenção benéfica das “Energias do Espírito” actua directamente sobre os planos mentais de um doente, através de vibrações / frequências infalíveis de natureza electromagnética.